Como fazer uma expedição particular


Assim como em toda área de proteção ambiental, também existe um Protocolo Ambiental para a Antártida, que estabelece certos critérios para as partes interessadas em operar expedições na área do Tratado da Antártida.

Esta área é designada como a área a sul de 60º de latitude sul, incluindo todas as plataformas de gelo circundantes.

O Artigo VII (5) (a) do Tratado da Antártida estabelece que cada parte deve advertir antecipadamente as expedições para e dentro do território especificado. Embora os navios de cruzeiro geralmente façam isso para seus turistas, se estiver planejando uma expedição particular, precisará obter uma permissão.

Dependendo do país que você pertence, você terá que entrar em contato com sua embaixada para solicitar a permissão, embora opção mais prática é contratar uma operadora, se quiser esquiar no Pólo Sul, escalar o Maciço de Vinson (o pico mais alto da Antártida), ou visitar o vasto interior do continente, existem operadores privados de logística que fornecem todas as facilidades, desde as permissões, até voos. O Centro Internacional de Logística da Antártida ALCI é baseado na Cidade do Cabo, África do Sul , e voa para uma base russa chamada Novolazareskaya. A Adventure Network International voa de Punta Arenas, Chile, para Union Glacier, uma pequena base onde eles lançam expedições guiadas.


Em 1991, as Partes Consultivas do Tratado da Antártica adotaram o Protocolo sobre Proteção Ambiental ao Tratado da Antártida, que designa a Antártida como uma reserva natural. O Protocolo estabelece princípios, procedimentos e obrigações ambientais para a proteção integral do meio ambiente antártico e seus ecossistemas dependentes e associados. As Partes Consultivas acordaram que, na pendência da sua entrada em vigor, na medida do possível e de acordo com o seu sistema jurídico, as disposições do Protocolo devem ser aplicadas conforme apropriado.

O Protocolo Ambiental se aplica ao turismo e atividades não-governamentais, bem como atividades governamentais na Área do Tratado da Antártida. Pretende-se assegurar que estas atividades, não tenham impactos adversos sobre o meio ambiente antártico, ou sobre seus valores científicos e estéticos.

Esta Orientação para Visitantes da Antártida destina-se a garantir que todos os visitantes estejam cientes e, portanto, possam cumprir o Tratado e o Protocolo. Os visitantes estão, obviamente, obrigados pelas leis e regulamentos nacionais aplicáveis ​​às atividades na Antártida.

Proteja a vida selvagem da Antártida

É proibida qualquer interferência prejudicial na vida selvagem da Antártida, exceto de acordo com uma licença emitida por uma autoridade nacional.

Não use aviões, embarcações, pequenos barcos ou outros meios de transporte de maneira a perturbar a vida selvagem, seja no mar ou em terra.

Não alimente, toque ou manuseie pássaros ou focas, nem os aproxime ou fotografe de maneira que eles alterem seu comportamento. Um cuidado especial é necessário quando os animais estão se reproduzindo ou mudando.

Não danifique as plantas, por exemplo, caminhando, dirigindo ou pousando em extensas camadas de musgo ou encostas de seixos cobertos de líquen.

Não use armas ou explosivos. Mantenha o ruído ao mínimo para evitar assustar a vida selvagem.

Não leve plantas ou animais não nativos para a Antártida, como aves vivas, cães de estimação, gatos ou plantas domésticas.

Respeitar áreas protegidas

Não danifique, remova ou destrua locais ou monumentos históricos ou quaisquer artefatos associados a eles.

Respeite a pesquisa científica

Não interfira com pesquisas científicas, instalações ou equipamentos.

Obter permissão antes de visitar as bases científicas e as instalações de apoio; reconfirmar acordos 24 a 72 horas antes da chegada; e cumprir as regras relativas a tais visitas.

Não interfira ou remova equipamentos científicos ou marcadores, e não perturbe locais de estudo experimentais, acampamentos de campo ou suprimentos.

Segurança

Esteja preparado para um clima severo e instável e garanta que seus equipamentos e roupas atendam aos padrões da Antártida. Lembre-se de que o ambiente antártico é inóspito, imprevisível e potencialmente perigoso.

Conheça suas capacidades, os perigos representados pelo ambiente antártico e aja de acordo. Planeje atividades com segurança em mente em todos os momentos.

Mantenha uma distância segura de toda a vida selvagem, tanto em terra como no mar.

Não caminhe sobre geleiras ou grandes campos de neve sem o equipamento e experiência adequados; existe um perigo real de cair em fendas ocultas.

Não espere um serviço de resgate. A auto-suficiência é aumentada e os riscos são reduzidos por um planejamento sólido, equipamentos de qualidade e pessoal treinado.

Não entre em abrigos de emergência (exceto em emergências). Se você usar equipamento ou comida de um refúgio, informe a estação de pesquisa ou autoridade nacional mais próxima quando a emergência terminar.

Respeite quaisquer restrições ao fumo, especialmente em torno de edifícios, e tome muito cuidado para salvaguardar contra o perigo de incêndio. Este é um perigo real no ambiente seco da Antártida.

Mantenha a Antártica Intocada

O eco sistema da Antártida permanece relativamente intocado, é a maior área selvagem da Terra. Ainda não foi submetido a perturbações humanas em grande escala. Por favor, mantenha assim.

Não descarte lixo ou lixo em terra. A queima aberta é proibida.

Não perturbe ou polua lagos ou riachos. Materiais não devem ser descartados no mar, mas sim descartados adequadamente.

Não pinte ou grave nomes ou graffiti em pedras ou edifícios.

Não colete ou remova biológicos.

Atividades que requerem permissão especial


• Utilização de substâncias radioativas para fins científicos

• Retirada ou intromissão de espécies antárticas

• Introdução de espécies não autóctones ao continente antártico

• Ingresso em Áreas Antárticas Especialmente Protegidas

Atividades proibidas

• Explosões nucleares e lançamento de lixo ou resíduos radioativos.

• Qualquer atividade relacionada com recursos minerais, exceto a de pesquisa
científica.


• Descarga de óleo ou misturas oleosas, substância líquida nociva, material
plástico ou qualquer outra forma de lixo no mar - restos de comida só
podem ser eliminados no mar se devidamente triturados ou moídos.


• Introdução, quer em terra, quer nas plataformas de gelo, quer nas águas
da área do Tratado da Antártica, de qualquer espécie animal ou vegetal que não
sejam autóctones da área do tratado, salvo quando objeto de licença.


• Qualquer interferência nociva à fauna e à flora nativas, exceto quando
objeto de licença. Essas incluem: vôos ou aterrissagens de helicópteros ou
outras aeronaves que perturbem as concentrações de aves e focas; perturbação
deliberada, por pedestres, de aves em fase de reprodução ou muda,
ou das concentrações de aves ou focas; danos significativos às concentrações
de plantas terrestres nativas em decorrência de aeronaves, condução de veículos
ou pisoteio; qualquer atividade que ocasione modificação desfavorável
significativa ao habitat de qualquer espécie ou população de mamíferos, aves,
plantas ou invertebrados nativos.

• Resíduos que não tiverem sido removidos ou eliminados, mediante remoção
ou incineração, não serão eliminados em áreas desprovidas de gelo ou
em sistemas de água doce.

• Introdução de difenis policlorados (PCBs), isopor ou pesticidas, exceto
para fins científicos, médicos ou higiênicos.

• Ingresso nas Áreas Antárticas Especialmente Protegidas (ASPAs) sem
permissão prévia.

• Dano, remoção ou destruição de sítios ou monumentos históricos.

• Queima de resíduos ao ar livre.

Obrigações

• A quantidade de resíduos produzidos ou eliminados será reduzida, tanto
quanto possível, de maneira a minimizar seu impacto sobre o meio ambiente
antártico.

• Armazenamento, eliminação e retirada dos resíduos da área do tratado,
assim como sua reciclagem e sua redução na fonte, serão considerações essenciais
no planejamento e na execução de atividades na Antártica.

• Os resíduos removidos da Antártica serão, tanto quanto possível,
devolvidos ao país que tiver organizado as atividades que geraram esses
resíduos.

• Os sítios antigos e os atuais de eliminação de resíduos em terra, assim
também os sítios de trabalho de atividades antárticas abandonados deverão
ser limpos por quem houver gerado os resíduos.

https://www.alci.co.za/wp-content/uploads/2014/10/ALCI-INFORMATION-PDF-FA.pdf

Tratado da Antártida

Protocolo ao Tratado da Antártida sobre Proteção ao Meio Ambiente

https://www.marinha.mil.br/sites/www.marinha.mil.br.secirm/files/tratado-protocolo-madri.pdf